quarta-feira, 2 de agosto de 2017

SindimotoSP, Secretaria Municipal de Transportes e Secretaria Especial de Relações Governamentais reúnem-se para discutir assuntos do setor de motofrete, entre eles, a questão das empresas de aplicativos

 Reunião na Secretaria Municipal de Transportes (SMT) com o secretário Municipal Sérgio Avelleda

Reunião na Secretaria Especial de Relações Governamentais com o secretário Municipal Milton Flávio.

Desde o início do governo João Dória o sindicato vem apontando soluções para os problemas do motofrete na capital. Regulamentação dos apps, qualificação do setor, campanhas educativas para motofretistas entre outras situações são imprescindíveis para a valorização da categoria. 

A Prefeitura Municipal de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) secretário Municipal Sérgio Avelleda e da Secretaria Especial de Relações Governamentais secretário Milton Flávio, recebeu o SindimotoSP para tratar de assuntos relativos ao motofrete da capital que passa por dificuldades, como por exemplo, a questão dos aplicativos. Para o sindicato, as empresas que estão explorando esse tipo serviço não são fiscalizadas e, assim, conseguem preços baixos porque não pagam impostos municipais como as empresas de motofrete convencionais. As empresas de aplicativo promovem dessa forma a concorrência desleal e ainda por cima, precarizam as relações de trabalho contratando motociclistas profissionais em forma de MEI, uma forma "mascarada" de burlar as leis trabalhistas. 

O SindimotoSP, desde o início do ano, quando o prefeito João Dória assumiu, vem reivindicando atenção especial para o assunto para que os trabalhadores motociclistas sejam respeitados. A prefeitura precisa tomar uma atitude criando uma regulamentação municipal que proteja os profissionais do motofrete, já que as empresas de aplicativo sistematicamente vem causando problemas como rebaixamento de valores de entrega / corrida, desrespeito a normas trabalhistas etc.

Nas duas reuniões ocorridas na sede da prefeitura, o SindimotoSP também deu continuidade a agenda iniciada com o próprio prefeito João Dória, solicitando que um Grupo de Trabalho de Motofrete seja criada para discutir assuntos como qualificação do setor através de cursos gratuitos de 30 Horas do Contran, campanhas educativas específicas e implantação de programa de prevenção de acidente (PPA) para motociclistas, entre outras questões.

Além dos secretários citados acima, participaram Gilberto Pereira (SMT/DTP), o presidente do SindimotoSP Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, e seus diretores Rodrigo Silva, Gerson Cunha, Marcos Cardoso e Celso Oliveira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário