quinta-feira, 27 de julho de 2017

ATENÇÃO TRABALHADORES MOTOCICLISTAS DA LOGGI, RAPIDDO, UBER, VAI MOTO E OUTRAS DE APP



 VOCÊS PRECISAM PERCEBER O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM VOCÊS!

O SindimotoSP solidariza-se com os trabalhadores motociclistas do app, entende a situação precária em que se encontram e, em nenhum momento fugirá da responsabilidade de representar e defender à categoria, assim esclarece:

- que mais do que ninguém, deseja uma solução definitiva para o fim da precarização dos direitos trabalhistas cometidas por essas empresas inescrupulosas que só visam o lucro e que elas ofereçam, de fato, condições dignas de trabalho;

- que denunciou para o Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) diversas vezes essas empresas, tendo mediado reuniões entre os ministérios, trabalhadores e empresa de App e que, agora, aguarda os procedimentos investigatórios contra elas pelos próprios ministérios, inclusive Ministério da Fazenda por "suposta" não declaração específica de Notas Fiscais declarando serviços prestados (para recolhimento de Imposto de Renda);

- que levou ao conhecimento dos MPTs do Ceará e Rio de Janeiro a precarização das relações trabalhistas cometidas pelas empresas de App e que, estes, agora estão sensíveis à causa do trabalhador;

que tem alertado os motociclistas repetidamente que eles levaram literalmente "um passa moleque" das empresas de aplicativo em seus direitos trabalhistas e são levados a pensar que são empresários, não trabalhadores de CLT. Mas, que empresário recebe ordens de terceiros, ficam com a menor parte do lucro, trabalham extensas jornadas, não ditam o preço do trabalho nem as regras, pelo contrário, tem que obedecer cegamente senão é desligado da plataforma?

O SindimotoSP ainda esclarece que desde que levou as empresas para mediação no MPT e MTE, elas não abaixaram o valor da entrega, criaram comitê de discussão e ouviram os trabalhadores, mas, com o esvaziamento da pauta de reivindicações dos próprios trabalhadores e da "malandragem" das empresas em diminuir a força do sindicato junto aos motociclistas, o movimento enfraqueceu e as empresas como Loggi e Rapiddo estão deitando e rolando, abaixando preços, aumentando jornada e o número de profissionais nas plataformas etc.

Portanto, trabalhador motociclista do App...

O SindimotoSP não fugirá a luta, mas ela tem que ser ordenada, planejada. Não adianta ir a prefeitura ou órgãos públicos, bem como fazer manifestações, por exemplo, porque o motofrete é de cunho comercial, não prestação de serviços. Não adianta sair pela cidade se não houver pauta de reivindicação e se de fato, não quiserem passar para CLT em vez de permanecer nessa exploração disfarçada de MEI.

É preciso realinhar forças, união e objetividade, bem como decidirem se desejam ser CLT, porque assim, é possível negociar Convenção Coletiva e garantir todo ano, aumentos, benefícios e melhorias e não ficar na mão de pessoas que apenas querem o lucro, sem pensar que, numa falta, quem vai sofrer é a família que fica!

Segue uma sugestão da direção do sindicato dos motoboys:

Dia 1/8 realizar uma grande assembléia na frente do sindicato e formalizar um ofício com pauta de reivindicação para o MPT e MTE e juntos encaminhar aos órgãos competentes.

Mas, atenção: é preciso decidir se a relação com as empresas de app será 

EMPRESA x EMPRESA

ou

EMPREGADO x EMPRESA.

Somente sendo empregados o sindicato poderá agir!

Pensem nisso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário