sexta-feira, 10 de março de 2017

Usar truques para enganar bafômetro pode complicar a vida do motociclista


Existem pessoas que acham possível driblar o bafômetro com vinagre, Metadoxil (remédio), antisséptico bucal, refrigerante, chocolate, bala de menta, além de outras dicas da internet ou grupos de whatsapp. Acredite: essas receitas mirabolantes não passam de mitos. Nenhum desses produtos interfere no resultado do teste do etilômetro.

Esses produtos alteram apenas o hálito e não interferem na medição do álcool porque ao soprar,  o ar expelido vem dos pulmões, não da boca. Por isso os policias pedem para soprar com força.

RECUSA

Quem tem a embriaguez atestada no exame ou se recusa a soprar o aparelho, é multado em R$ 2.934,70 e notificado a responder processo de suspensão do direito de dirigir pelo período de um ano. Além disso, mesmo que o condutor se recuse a soprar o etilômetro, caso o perito da Polícia Técnico-Científica identifique durante o exame clínico que a pessoa não está apta a dirigir, ao ter atitudes como cambalear e falar coisas sem sentido, o cidadão pode responder também por crime de trânsito. A pena é de seis meses a três anos de prisão.

Quem for reincidente nesse tipo de infração em um período de 12 meses é multado em R$ 5.869,40 e responde a processo de cassação do direito de dirigir por dois anos.

Por um trânsito melhor e mais qualidade de vida para o motociclista profissional, o SindimotoSP ressalta... se beber, não dirija!


Nenhum comentário:

Postar um comentário