quarta-feira, 15 de março de 2017

SindimotoSP dá seu recado na Capital em Dia Nacional da Paralisação contra reformas trabalhistas e previdenciárias



















Os motociclistas profissionais saíram as ruas como fazem todos os dias, mas, desta vez, para protestar contra as reformas trabalhista e previdenciária que o Governo Federal quer enfiar "goela abaixo" de todo trabalhador brasileiro. 

O SindimotoSP, com apoio da União Geral dos Trabalhadores (UGT), reuniu quase mil motociclistas profissionais, no horário de pico da manifestação, e percorreu as ruas de São Paulo para reivindicar direitos e defender as conquistas que estão na CLT.

O ato pacífico saiu da sede do sindicato, passou pela Avenida 23 de Maio, pelo centro de São Paulo e chegou na Rua Genebra, sede da UGT, onde encerrou com um mini-comício com discursos do presidente Gil, dos diretores Nego Gerson, Gerson Cunha, Celso Oliveira, Rodrigo Silva e outras lideranças locais, bem como alguns  motofretistas - delegados.

Na visão do SindimotoSP e motociclistas profissionais, o recado foi dado com palavras de ordem para os parlamentares que insistem em aprovar medidas que contrariam os interesses da classe trabalhadora. “O Governo Federal quer empurrar injustiças para o trabalhador, destruir direitos e rasgar à Constituição. Não vamos permitir”, ressaltou o presidente Gil.

Canindé Pegado, secretário Geral da UGT, também discursou. “Reformas são necessárias, mas não da forma que está sendo apresentada precarizando as relações trabalhistas e surrupiando direitos dos trabalhadores", disse o dirigente. O ato terminou com grande "buzinaço" na frente da sede da UGT. 

Veja mais imagens aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário