quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

De janeiro a dezembro...

de 2016 foram inúmeras reuniões com autoridades públicas municipais, estaduais e federais, além de empresários do setor de motofrete que resultaram no impedimento da aprovação da lei que impediria garupa na capital ou uso de colete com identificação da placa da moto,  4 Convenções Coletivas assinadas com média de 9% de aumento real acima da inflação, manutenção de direitos trabalhistas, parceria com o Banco do Povo Paulista que renderá prestações mais baixas para financiamento de motos padrão motofrete, denúncia de irregularidades nas empresas de aplicativo de motofrete, entre outras situações em que o SindimotoSP mostrou força e união com à categoria.

Foi, também nesse ano, as duas maiores manifestações de motociclistas liderados pelo SindimotoSP: uma contra a prefeitura da capital pela falta de políticas públicas para motos e indústria da multa, que prejudicou milhares de trabalhadores e outra mega manifestação histórica, por ser a primeira, contra empresas de aplicativos que precarizaram as relações de trabalho. Somadas as duas manifestações, foram quase 15 mil motociclistas liderados pelo presidente Gil que disseram não para a situação.

2017 tem mais luta, pode esperar!



Nenhum comentário:

Postar um comentário