terça-feira, 18 de outubro de 2016

Limite de velocidade nas ruas de São Paulo ainda não é consenso, diz reportagem do Estadão

O assunto é polêmico e tem gerado "pano pra manga" em todos os lugares, seja nas ruas, nas mídias, escolas, entre especialistas de trânsito e até autoridades públicas.

Recentemente, publicamos matéria (ver aqui) falando sobre o assunto, principalmente mostrando que o sistema Infosiga constestava os números da CET SP em relação a redução de mortes nas vias públicas da capital por conta da diminuição da velocidade.

O Infosiga, que mapeia índices de acidentes no Estado, mostrou que em agosto deste ano foram registradas 103 mortes no trânsito na cidade, contra 90 mortes no mesmo mês de 2015, ou seja, a redução apontada pela CET era no mínimo, estranha e sem comprovação real de redução.

Em outras matérias, também mostramos que outras instituições estavam contestando os números da CET, mesmo porque, ela  é ligada à Secretaria de Transportes Municipais, que está sob o comando da prefeitura. É como se colocasse a raposa para tomar conta do galinheiro pela obviedade do que aconteceria com órgão público municipal divulgando notícia de interesse da própria administração.

Com isso tudo, o SindimotoSP não pode permanecer omisso e defende a volta da velocidade estipulada pelo Contran nas Marginais Tietê e Pinheiros, assim como em outras vias expressas. São Paulo é uma cidade dinâmica e precisa de rapidez em suas ruas.

O que é necessário: buscar alternativas inteligentes que venham de encontro com as necessidades da grande metrópole. É preciso campanhas educativas, mais sinalização, motofaixas para motociclistas e soluções práticas.

Estamos de olho e vamos falar mais a respeito desse assunto nos próximos dias.
Leia aqui a matéria do Estadão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário