segunda-feira, 12 de setembro de 2016

SindimotoSP não concorda com vídeo da Record sobre acidentes de motos

Uma reportagem veiculada ontem (11/9) no Domingo Espetacular da TV Record, mostrou ser a velocidade a maior vilã nos acidentes que envolvem motocicletas no Brasil. Inclusive foi citado que o número de mortes de motociclistas no país só perde para o que ocorreu durante o tráfico de escravos há mais de 300 anos.
A reportagem é resultado de avaliação do engenheiro de trânsito e sociólogo Eduardo Vasconcelos e aponta, entre outros dados, que entre os anos 2000 e 2014, foram 222 mil mortes e 1,6 milhões de invalidez. Também é citado que em 1960 havia 1,5 milhões de motocicletas no Brasil, saltando em 2016 para mais de 17 milhões.
Vasconcelos no vídeo diz que tanto motociclistas quanto motoristas não foram ensinados a conviverem pacificamente em ruas e avenidas públicas. O maior prejudicado, sem dúvida, nessa guerra diária é o motociclista que sofre nos acidentes traumatismos cranianos, lesões na coluna, amputação de membros, ficam com sequelas graves após os acidentes ou vão a óbito.
No decorrer do vídeo, tanto reportagem quanto o sociólogo vão apontando culpas de motociclistas como imprudência, falta de uso de equipamentos de seguranças e da CNH, uso de álcool ou drogas entre outros fatores.
Sem dúvida, o SindimotoSP vem esclarecer em público, que motociclistas tem sua parte de culpa nessa triste constatação de mortandade no trânsito, mas alerta: falta de políticas públicas para motociclistas que é sim, a maior vilã. A diminuição da velocidade e proibição de tráfego em determinadas vias públicas não acabam com o problema, apenas jogam para outros trechos de vias públicas.
É preciso criar centros de qualificação e ensino permanentes para motociclistas, difundir campanhas educativas para motociclistas, motoristas e demais participantes do trânsito como pedestres, ciclistas e outros. É preciso reeducação em todos os níveis para que o problema seja minimizado.
Em 2013, o Hospital da Clínicas - IOT, realizou pesquisa importante que mostra números, fatores e causas de acidentes. No estudo, mostra-se sim que é possível reverter a solução com fatos concretos e de reversão imediata.
O SindimotoSP já apresentou propostas que funcionam, e que não brincam nem com a vida dos motociclistas quanto com seus bolsos. Para minimizar esse número de mortes defende:

1) Criação de Lei Federal pelo Contran de motofaixas na capital
2) Sinalização de solo específica para motociclistas 
3) Campanhas educativas para motociclistas e motoristas
4) Cursos de qualificação 30 Horas do Contran (gratuito)  
5) Fim imediato da indústria da multa que pune e não educa
O SindimotoSP já mostrou, inclusive em atos públicos e pacíficos, que é preciso soma de forças, e não medidas ditatoriais que visam mais as fontes de arrecadação do que de educação.
Assista aqui o vídeo da Record.
Veja aqui nosso vídeo sobre o assunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário