terça-feira, 5 de julho de 2016

Lei Seca comemora oito anos salvando vidas nas cidades brasileiras

Artigo cedido pela Seguradora Líder

Diminuir o número de acidentes nas ruas brasileiras, evitando mortes. Essa sempre foi a grande missão da Lei Seca, que comemora oito anos neste mês. Desde o início, a operação vem promovendo uma mudança expressiva nos hábitos dos motoristas, principalmente em relação à combinação de direção e álcool. Prova disso é a queda gradual do número de acidentes causados após a ingestão de bebidas alcoólicas. No Rio de Janeiro, por exemplo, a média foi reduzida em quase 3% desde 2009, quando o índice registrado nos primeiros meses do ano era de 7,9% – porcentagem que caiu para 5,1% em 2016.
No Rio, cidade referência nas ações de conscientização, o número de flagrantes envolvendo motoristas alcoolizados apresentou redução média de 30%. Além disso, desde a implantação da Lei Seca, cerca de 155 mil motoristas com sinais de embriaguez tiveram suas carteiras de habilitação retidas. O Distrito Federal também registrou bons resultados com a maior rigidez: 813 motoristas foram autuados por alcoolemia em janeiro deste ano, 297 casos a menos comparando com o mesmo período de 2015.
Os números se mantêm positivos quando tomamos por base os índices nacionais. De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), quando a Lei Seca passou a ser mais rigorosa e sem tolerância, em 2012, os registros chegavam a 7.594 casos, contra os 7.391 acidentes em 2014. Os números do Seguro DPVAT também apontam a queda de mortes ao longo dos anos.
No entanto, o Brasil ainda precisa investir muito em educação no trânsito e conscientização da população para alcançar a média mundial de 8,3 mortes por 100 mil habitantes. Os registros nacionais alcançam a assustadora marca de 19,9 mortos por um grupo de 100 mil habitantes.
O panorama do país ainda está muito distante do estipulado pelo Plano Nacional de Redução de Acidentes, elaborado em 2011 para diminuir 50% dos acidentes fatais até 2020. Para alcançar esse objetivo, a fiscalização continua nas ruas para evitar que novas vítimas dessa mistura perigosa sejam feitas e lembrar que direção e bebida não combinam.
Preserve vidas e diga não à essa combinação fatal!

Nenhum comentário:

Postar um comentário