quarta-feira, 1 de junho de 2016

MP investigará liberação do Uber na "canetada" do prefeito Fernando Haddad


Depois de passar por cima da Câmara de Vereadores de São Paulo com um decreto municipal , o prefeito Fernando Haddad terá que explicar a liberação do Uber ao Ministério Público Estadual (MPE), que instaurou inquérito para investigar a regulamentação do aplicativo usado para o transporte individual e particular de passageiros na capital.

Os vereadores tentavam uma solução democrática para a questão. A Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social vai apurar se o ato do prefeito configura “desvio de finalidade e violação aos princípios da administração, especialmente, o da impessoalidade”.

A investigação tem como pano de fundo o fato de o sobrinho do prefeito, Guilherme Haddad Nazar e seu ex-secretário de Negócios Jurídicos Luis Fernando Massonetto, trabalharem na Uber. Nazar ocupa cargo operacional na empresa e Massonetto é consultor jurídico.

Procurada pela imprensa na tarde de terça-feira, dia 31, a gestão Haddad não se manifestou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário