segunda-feira, 6 de junho de 2016

Indústria da multa de trânsito na capital é uma das maiores fontes de receita da prefeitura e se não for o Ministério Público Estadual, administração não diz para onde vai receita

Desde que a administração municipal mudou as regras de velocidade na cidade de São Paulo, os cofres estão mais cheios e trabalhadores do setor profissional de duas rodas sem poder exercer a profissão. Em 2015, o valor arrecadado pela prefeitura municipal foi de R$ 964 milhões, segundo cálculos, em 2016 passará de R$ 1 bilhão. Se de um lado a prefeitura tem arrecadado muito, e pouco pelo trânsito, como troca de semáforos, sinalização adequada, campanhas de educação específicas para motociclistas, o motociclista profissional fica sem trabalhar devido a CNH apreendida ou não poder pagar IPVA, DPVAT ou licenciamento da moto devido as multas.Veja abaixo alguns dados que comprovam a existência de uma indústria de multas, mesmo prefeito Fernando Haddad e o secretário de Transportes Jilmar Tato dizerem que não.
Total de multas por excesso de velocidade só nas marginais em 2015
Marginal Pinheiros
Marginal Tietê
Até 20 de julho: 233.608
Até 20 de julho: 199.435
Depois de julho: 605.302
Depois de julho: 467.492

Evolução por mês

Evolução por mês

Até 20 de julho: 61.699
Depois de 20 de julho: 128.577 (+ de 100%)
Até 20 de julho: 64.677
Depois de 20 de julho: 88.949

Valor arrecadado: R$ 76,7 milhões

Valor arrecadado: R$ 62,4 milhões

Nenhum comentário:

Postar um comentário