sexta-feira, 13 de maio de 2016

O presidente Gil, do sindicato dos motociclistas profissionais do Estado de São Paulo, lamenta que o prefeito Fernando Haddad não ouve e nem recebe os representantes da categoria para discutir políticas públicas para quem anda de motocicleta na cidade de SP.

Na última manifestação, milhares de motociclistas mostraram para a administração municipal que não são invisíveis numa das maiores manifestações que o SindimotoSP já realizou.
Motofretistas e motociclistas uniram forças e, juntos, entregaram ofício com reivindicações que exige políticas públicas imediatas para quem circula de moto na cidade.



Na ocasião, tanto prefeitura quanto Câmera dos Vereadores receberam oficio com
AS PRINCIPAIS DIFICULDADES dos motociclistas
Estreitamento de faixas de trânsito nas vias públicas.
Falta de bolsões de estacionamento no centro da cidade.
Investimentos milionários em ciclovias e nada para motos.
Redução brusca de velocidade sem campanhas de orientação.
Falta de campanhas de educação no trânsito para motociclistas.

ATENDIMENTO DAS REIVINDICAÇÕES
Normatização de faixas de segurança para motos pelo CTB.
Sinalização de solo nos corredores virtuais de circulação de motos.
Investimentos via Lei Municipal 14.488 para campanhas educativas.
Centros de treinamentos de pilotagem para motociclistas.
Expansão dos bolsões de estacionamentos de motos.
Incentivo a regulamentação da categoria de motofrete.
Fiscalização de empresas de motofrete clandestinas.
O SINDIMOTOSP, ATRAVÉS DO PRESIDENTE GIL, CONTINUA REIVINDICANDO POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA CAPITAL.



Nenhum comentário:

Postar um comentário