quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Motos com carburador deixarão de existir. Previsão é que em 2016 com a continuidade da 4ª fase do Promot, as montadoras não fabriquem mais motos carburadas.

Montadoras terão que se adaptar para a exigência. Segundo Conama, aos poucos, as motos carburadas deixarão de existir. Objetivo é diminuir poluição.

Desde 2005 o segmento street tem moto com injeção eletrônica produzida pela Yamaha, mas a popularização veio mesmo com a CG 150 da Honda. Porém, o que era inovação, ano que vem será obrigação devido a segunda etapa do PROMOT M4, que entra em vigor em 2016 e reduzirá ainda mais a tolerância aos níveis de substâncias nocivas lançadas ao ar pelas motocicletas. Ação é coordenada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). 

As tolerâncias nos níveis de CO, HC e NOx para as motos que chegam até 130 km/h serão de 2,0 g/km; 0,56 g/km e 0,13 g/km, respectivamente. E, de 2,0 g/km; 0,25 g/km e 0,17 g/km no caso da motocicleta atingir velocidade superior a esse limite.

O que é o PROMOT?

O Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares, o PROMOT, foi criado em 2002 pelo Conama e prevê a redução contínua dos poluentes emitidos pelas motocicletas e ciclomotores no País. Até o momento, entraram em vigor três fases do programa, em 2003, 2005 e 2009, diminuindo cada vez mais as tolerâncias de Monóxido de Carbono, Hidrocarbonetos e Óxidos de Nitrogênio permitidos para homologação de novos modelos. A quarta etapa está em vigor e já terminou a primeira fase.

Nenhum comentário:

Postar um comentário