segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Espelho retrovisor não é enfeite, além de obrigatório, deve seu usado corretamente

Seja para agilizar a passagem entre os carros, por achar que os originais são feios ou até que não são necessários, muitos motociclistas alteram ou confundem o uso de espelhos retrovisores, que são obrigatórios e disciplinados pelo Código Brasileiro de Trânsito em todo País, além de ter resolução própria do Contran. O artigo 1º inciso IV da Resolução 14/98 estabelece este item, além de outros, obrigatório para o trânsito de motocicletas, motonetas e ciclomotores em vias públicas.

O condutor poderá ser autuado e sua moto retida se apresentar retrovisor com dimensões reduzidas, pois o equipamento não apresenta eficiência, caso o reflexo traseiro seja obstruído pelo próprio corpo do motociclista.

A diminuição das dimensões do guidão de forma a permitir maior mobilidade na passagem entre os veículos também provoca alteração nos espelhos retrovisores, que ficam mais próximos do corpo de forma a causar maior dificuldade na visualização.

Assim, quando parados em blitz, os motociclistas têm sido autuados.  A infração quanto ao equipamento obrigatório também ocorre quando não estão presentes, ou, estando presentes, são ineficientes ou inoperantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário