quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

SindimotoSP conquista benefícios para o setor de motofrete

Desde que o SindimotoSP está sob a presidência do companheiro Gil, inúmeras conquistas e vitórias trabalhistas tem melhorado o padrão de vida do trabalhador, como a periculosidade, aluguel da moto, Hora Ponto unificada etc. Se não bastasse isso, ainda tem reivindicações sendo atendidas nos poderes públicos federal, estadual e municipal.
Em 2015, uma das bandeiras do SindimotoSP é lutar pela regulamentação e qualificação da categoria, só assim, será possível buscar mais direitos como isenção de impostos, melhores salários, menos discriminação e mais justiça.
Setor sindical
Governo Federal
Governo Estadual
Governo Municipal
Convenções Coletivas fortes nos setores Dia, Delivery, Jornal e Revistas e Diferenciado, com aprovação do Ministério do Trabalho e Emprego
Pagamento dos 30% de periculosidade para o motociclista profissional
Mais de 30 mil cursos 30 Horas do Contran Gratuitos
Participação no GTT municipal para discutir regulamentação na cidade
Aumento real no salário do trabalhador, unificação dos pisos salariais
Linha de financiamento federal para compra de moto Zero
Posto do Detran no DTP para agilizar emissão do Condumoto e Licença Motofrete
Bolsões de estacionamento para motofretistas
Benefícios com valores aumentados e reajustados acima da inflação
Parceria com o Instituto Motofrete para Cursos de 30 Horas do Contran gratuito
Linha de financiamento pelo Banco do Povo Paulista para compra de moto Zero
Criação e sinalização de corredores virtuais
Fiscalização nas empresas clandestinas
Campanhas de educação no trânsito para o setor
Participação no Cedatt, instituição que sugere mudanças no trânsito paulista
Fiscalização regular nas empresas clandestinas
Mais de 500 processos trabalhistas ganhos para o trabalhador
Implantação de programa de proteção ao motociclista.

Participação em fóruns estaduais para regulamentação
Criação de programa de proteção ao motociclista

Venha somar forças conosco! 

Clique aqui e leia mais sobre a obrigatoriedade do pagamento da periculosidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário