quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Periculosidade barrada em Brasília pelo deputado federal Walter Tosta, do PSD de Minas Gerais.

A notícia caiu como uma bomba em todos os sentidos da palavra. O Projeto de Lei 2865/11 - que determina o pagamento da periculosidade ao motofretista / mototaxista e havia sido aprovado em 11/12/2013, foi BARRADO, na Câmara dos Deputados Federais em Brasília, pelo deputado federal Walter Tosta, do PSD de Minas Gerais.

A origem do projeto é do Senado Federal e o autor é o senador Marcelo Crivela. No senado, o projeto foi aprovado e enviado para á Câmara dos Deputados Federais para apreciação que aprovou na Comissão de Trabalho e Administração (CTASP). O projeto também esteve na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) que foi aprovado por unânimidade. Depois desse trâmite, seria enviado de volta para o senado que encaminharia para a presidenta Dilma Roussef vetar ou aprovar.

Porém, no ultimo dia, antes do envio do projeto, o nobre deputado Walter Tosta BARROU a ida dele para o senado alegando que precisava de ajustes. O referido parlamentar recorreu a apreciação conclusiva do projeto sem consultar a categoria nem os sindicatos do setor, principalmente o SindimotoSP que tem como bandeira o pagamento da periculosidade ao motofretista e mototaxista e não tem medido esforços para que o benefício chegue ao setor.

A atitude do deputado federal Walter Tosta prejudica milhões de motofretistas e mototaxistas em todo Brasil que já tinha como certo o pagamento da periculosidade.

Ontem, o presidente Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, esteve em Brasília para falar com o deputado que não o recebeu, enviando um comissionado de seu gabinete para tratar do assunto, como se isso não tivesse importância.

O SindimotoSP repudia a atitude do deputado federal Walter Tosta, do PSD de Minas Gerais, e tomará todas as medidas para que ele devolva o projeto original para o senado, que aguarda. O SindimotoSP já está mobilizando suas bases sindicais, delegados, sindicatos de motofrete de todo Brasil para que ele saiba que a categoria não irá admitir tamanha insensatez.

O SindimotoSP sugere que, o trabalhador de motofrete e mototaxi que sentiu-se lesado, entre em contato com o deputado em seu site disponível aqui.   

Quanto ao SindimotoSP, vamos mobilizar a categoria em todo Brasil. Aguardem mais informações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário