terça-feira, 19 de novembro de 2013

SindimotoSP não concorda com fim das Motofaixas da Sumaré e Vergueiro

O Sindicato dos motofretistas de São Paulo é contra o fechamento arbitrário das motofaixas da Avenida Sumaré e da Rua Vergueiro por entender que é um grande desrespeito não só a categoria profissional denominada motofrete, que hoje ultrapassa os 220 mil  trabalhadores (só na cidade de São Paulo), quanto aos motociclistas que usam esses corredores para irem ao trabalho, faculdade etc. Hoje, São Paulo tem mais de 1,5 milhão de motos rodando só na capital e, boa parte delas usam as motofaixas.

A prefeitura alega que as motofaixas não atenderam a expectativa de diminuição de acidentes, mas a própria CET divulgou estatística afirmando que em 2012 não houve acidentes fatais em nenhuma delas e sim, nas seguintes vias públicas:

Marginal Tietê: 14 mortes
Avenida Sapopemba: 7 mortes
Marginal Pinheiros: 7 mortes
Avenida M'Boi Mirim: 7 mortes
Avenida Ragueb Chofi: 6 mortes

Com isso, percebe-se que os motociclistas ficam em último plano para à prefeitura e que mais uma vez, devem pagar à conta, quando deveria existir políticas públicas para o segmento do motofrete.

O SindimotoSP entende que é necessário mais motofaixas e não a extinção delas.

O SindimotoSP está estudando possibilidades para reverter e, se for o caso, reivindicar nas ruas um direito que foi conquistado e sim... DIMINUIU ACIDENTES NAQUELAS VIAS.

Mais informações a qualquer momento.






Nenhum comentário:

Postar um comentário